quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

MATRIX RESURRECTIONS – redenção imaginativa | CRÍTICA

KEANU REEVES como Neo/Thomas Anderson em MATRIX RESURRECTIONS


Até o anúncio da produção de Matrix Resurrections, o desfecho agridoce de Matrix Revolutions era uma incógnita que levou 18 anos para ser respondida. Mesmo com todo o receio habitual (muito que por justa causa) do público aficionado perante consecutivas sequências de grandes franquias que rendem um infinito merchandising, é válido dizer que Lana Wachowski faz desse quarto capítulo da saga de Neo e Trinity uma obra totalmente inspirada, divertida e tão cheia de esmero enquanto uma revisão narrativa contundente.


segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

AMOR, SUBLIME AMOR – o esmero de Spielberg no resgate de identidades | CRÍTICA


Há quem se incomode com o tique hollywoodiano em fazer continuações, remakes ou reboots mais visando o lucro do que um talvez nobre propósito de reapresentar tal conto para novas gerações com melhores recursos técnicos. Era quase inimaginável também pensar que um cineasta como Steven Spielberg teria a audácia de tocar num título tão estimado como o oscarizado musical Amor, Sublime Amor logo quando o diretor sempre parece pensar à frente mesmo com as tramas de época que ficou acostumado a fazer.


sábado, 27 de novembro de 2021

ANNETTE – o espetáculo está acima da realidade | CRÍTICA


Annette conta a história de Henry (Adam Driver), um comediante de stand-up que desafia limites, e Ann (Marion Cotillard), uma cantora mundialmente famosa. Na ribalta, são o casal perfeito, saudáveis, felizes e charmosos. O nascimento da sua primeira filha, Annette, com uma característica especial que soa até cômica de tão bizarra.

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

CASA GUCCI – um corte antiquado | CRÍTICA

 

Mesmo com todas as suas inegáveis contribuições para o Cinema, Ridley Scott é um cineasta que gosta de ficar a par das tendências (à parte de sua ojeriza aos filmes de super-heróis) colocando-se praticamente em ininterrupta atividade. Passado o recente O Último Duelo, o veterano agora se aproxima da saga informal de cinebiografias de estilistas e grifes da alta costura que se tornaram corriqueiras nos últimos quinze anos e, quase sempre, mostrando as jornadas de uma elite que, de tão gananciosa e arrogante, acabava cavando a própria cova. De certa forma, Casa Gucci não poderia ser diferente de tal média.


terça-feira, 23 de novembro de 2021

ENCANTO – fazendo a magia perdurar | CRÍTICA


Teria sido na Colômbia o berço do chamado "realismo mágico" e de tantos artistas da literatura e da música pop, mas o 60º longa-metragem de animação da Disney, por ora, não se dedica a adaptar uma obra de Gabriel García Marquez ou repetir a parceria com Shakira depois de Zootopia. Na vontade de fazer um filme sobre a América Latina, os realizadores Byron Howard, Jared Bush e a co-diretora Charise Castro Smith encontraram nas belezas naturais e na mitologia própria do país todo o clima e o mote necessários para Encanto, que só tende as expandir os méritos narrativos e artísticos do estúdio.


segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Deserto Particular | CRÍTICA


A masculinidade heteronormativa é um caso estranho. Entre constantes necessidades de autoafirmação, recorre-se a qualquer coisa, roupa, ato, profissão para reforçar o gesto de macho – e há quem tenha acreditado que votar em um certo candidato anos atrás também contribuiria nessa imagem. Mas um homem quando está apaixonado é capaz de desmoronar e deixar todas essas poses de lado para conseguir o que quer, algo que Deserto Particular se debruça em mostrar os homens hesitantes do Sul ao Nordeste do país.


quinta-feira, 18 de novembro de 2021

A CRÔNICA FRANCESA – cinefilia de encher os olhos | CRÍTICA


É impossível não gostar da filmografia de Wes Anderson. Entre títulos populares e outros intelectualíssimos, o diretor rebusca e exprime o que há de melhor no Cinema no intuito de entregar experiências que brilham nos olhos e sorrisos de qualquer bom cinéfilo que aprecia um humor afiado e um peso cada vez maior na fotografia e direção de arte. Seria surpresa dizer que A Crônica Francesa cumpre todos esses requisitos?

quarta-feira, 17 de novembro de 2021

NOITE PASSADA EM SOHO – um suspense virtuoso além da estética | CRÍTICA

Anya Taylor-Joy e Thomasin McKenzie em NOITE PASSADA EM SOHO

Edgar Wright é um cineasta de mão cheia e os seus filmes comprovam isso, sendo redescobertos e apreciados por cinéfilos que valorizam histórias bem contadas (vide o resgate de Scott Pilgrim Contra o Mundo dez anos depois de seu lançamento). Numa escalada de títulos sempre surpreendentes e divertidos, desta vez, Noite Passada em Soho demonstra o amadurecimento do virtuoso diretor de Baby Driver em seu flerte com temáticas que vão além do puro gesto estético.


quarta-feira, 3 de novembro de 2021

ETERNOS – uma bem-vinda interferência de criatividade | CRÍTICA



Há pouco mais de dois anos, o anúncio do Marvel Studios em levar os Eternos aos cinemas parecia uma aposta ousada, estranha aos ouvidos do público acostumado com heróis tão populares. Talvez uma das criações mais eruditas e menos conhecidas de Jack Kirby na editora, a trama cósmica, pelo menos, já havia assegurado o interesse a partir do momento em que estrelas como Angelina JolieSalma Hayek foram reveladas no elenco ao passo em que o nome de sua diretora, até então, uma egressa das temáticas mundanas de baixo orçamento, passava batido. Com suas devidas e merecidas láureas por Nomadland adquiridas ao longo da temporada de premiações até alcançar a estatueta máxima no Oscar, porém, é perceptível como a diretora e roteirista Chloé Zhao não se cansa de nos surpreender com sua sensibilidade ímpar tendo um épico na palma de suas mãos que se prova distinto o suficiente de praticamente tudo o que foi visto no MCU até o momento. 


quarta-feira, 20 de outubro de 2021

DUNA – a profundeza dos sonhos de Villeneuve | CRÍTICA

 

A nova adaptação de Duna é primorosa. É como se não houvesse precedentes, mesmo diante da existência da versão de David Lynch e do projeto nunca filmado de Alejandro Jodorowsky (El Topo). Literatura complexa para alguns a julgar por seu tomo de detalhes tal como o “O Senhor dos Anéis”, parecia até que somente um cineasta em progressão como Denis Villeneuve estava predestinado a dirigir esta nova versão considerando a sua visão criativa e condução impactante atestadas numa filmografia distinta praticamente isenta de falhas. De sua fidelidade às vertentes oníricas e místicas aos contextos geopolíticos que Frank Herbert soube tão bem antever, o diretor canadense projeta um épico audacioso como há tempos não assistíamos.

domingo, 17 de outubro de 2021

Apenas o Sol | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


O que garante a sobrevivência da cultura de um povo? Acossados pelo baixo assistencialismo das políticas paraguaias e da constante evangelização forçada (como se aquelas dadas desde 1500 não fossem suficientes), os nativos dos Ayoreo tentam viver como podem – e, na maioria das vezes, com pouco. Na intenção de preservar as memórias de sua gente, um homem não se cansa de carregar um aparelho de som já antiquado para gravar as conversas com suas amizades no Chaco paraguaio. 


sexta-feira, 15 de outubro de 2021

O Bom Cinema | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)

 

Traçar a história do Cinema Brasileiro é um exercício feito há tempo considerável por críticos e teóricos, mas também por cineastas que tanto se inspiraram e aprenderam com artistas de outras épocas. Do importante resgate histórico (ainda mais passado o incêndio na Cinemateca), o espectador ganha mais uma boa aula com O Bom Cinema.

Rolê - Histórias dos Rolezinhos | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)



Agraciado com o Prêmio Especial do Júri e com Prêmio do Público no 10º Olhar de CinemaRolê - Histórias dos Rolezinhos quer falar muita coisa porque entende que os assuntos que vem a abordar, seja por imagens de arquivo, por depoimentos e performances, estão intrinsecamente ligados. Entre histórias reais que vão do preconceito a superação, há uma juventude que não se permite mais intimidar.

Carro Rei | CRÍTICA

Matheus Nachtergaele em CARRO REI
 

É um ato de celebração toda a vez em que realizadores brasileiros se empreendem na realização de um filme de fantasia. Custos à parte, firmar uma identidade nacional logo num gênero dominado pela cultura internacional é um exercício e tanto em sua demanda por criatividade. Mesmo oscilando entre altos e baixos, a diretora Renata Pinheiro faz Carro Rei nos entreter com um passeio distópico e consciente.


quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Halloween Kills: O Terror Continua | CRÍTICA


É difícil definir o que faz de Halloween uma das franquias mais atrativas do cinema de horror, apesar de a maioria dos seus títulos estar longe de ser algo plausível ou memorável tanto quanto o original de John Carpenter. Nas mãos da Blumhouse, o comeback de 2018 serviu para reavivar o elo de Michael Myers e Laurie Strode omitindo de seu cânone praticamente todas as sequências dadas após o segundo longa e, daí, iniciando uma revisão da violência nos tempos atuais – afinal, seria apenas Michael o agressor na história? Então, se Halloween remetia até em estrutura com o clássico A Noite do Terror, com Halloween Kills, o diretor David Gordon Green aproxima-se da continuação de 1981 com muito mais matança e uma sociedade não menos incendiária.

Subterrânea | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)

Silvana Stein e Negro Leo em SUBTERRÂNEA

Esse talvez seja um dos filmes mais inesperados e divertidos que eu poderia esperar assistir na 10ª edição do Olhar de Cinema. Flertando com as tramas fantásticas de arqueologia, o que o diretor Pedro Urano faz com Subterrânea é uma doida, mas curiosa aventura que funciona dentro dos limites da suspensão da descrença enquanto uma reflexão de sua metrópole.


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

O Último Duelo | CRÍTICA

 

Ver Ridley Scott voltando para a Idade Média passados 1492, Cruzada e Robin Hood poderia ser até taxado como um retrocesso criativo, ainda mais quando o cineasta gosta de tornar épico (ou supérfluo?) quase tudo o que toca a ponto de perder a integridade narrativa em prol do mero espetáculo. Curiosamente (e ao contrário do que eu esperava), O Último Duelo demonstra um diretor excepcionalmente lúcido ao retratar um tema cujas contestações eram quase que impensáveis há mais de 600 anos.

terça-feira, 12 de outubro de 2021

Ursa | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


Imprimir a realidade sem recorrer ao documentarismo é de um empenho digno de todos os méritos, especialmente quando o marasmo do cotidiano parece ser algo tão tentador de expor na tela (muito que por tendências estéticas) ao invés de se debruçar no que realmente importa: o misto de emoções que as personagens sentem e têm que enfrentar ao longo do dia diante de conflitos inesperados; muitas vezes, maior que elas. Nas melhores retratações ficcionais, as adversidades bem escritas e encenadas fazem-nos afligir e nos revoltar junto com os protagonistas carentes de apoio – e estar remotamente ao lado delas é não menos do que uma experiência catártica. Ursa, primeiro longa de William de Oliveira (Aquele Casal), reitera o tato ímpar do cineasta na criação de histórias sensíveis cuja empatia só tende a crescer a cada cena.


Sonhos de Damasco | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


Ao longo da projeção de Sonhos de Damasco, vemos a diretora Émilie Serri se nortear, entre crianças a idosos, de uma questão central entre os refugiados no Canadá: as memórias que cada um ainda tem de quando viviam na Síria. Seu propósito é nobre, uma vez que teme um iminente desaparecimento do país em decorrência dos impactos da guerra, mas também por sua vontade de se repatriar a partir dessas lembranças coletivas, das próprias (uma vez que a cineasta viajara com a família em algumas ocasiões ao longo dos anos) e daquelas fornecidas pelo seu próprio pai. O que se vê, então, é uma imersiva e criativa experiência e talvez um dos melhores filmes já exibidos na Mostra Competitiva da história do festival Olhar de Cinema.


segunda-feira, 11 de outubro de 2021

Zinder | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


Co-produção do Níger com França e Alemanha, Zinder vem a tocar numa ferida que assola o país africano há tempos a ponto de tornar a cidade-título como uma "ovelha negra": o fato de o local ser dominado por gangues lá chamadas de "palais". Entretanto, ao contrário da figura do gângster moldado pelo imaginário do entretenimento e jornalismo por décadas a fio, os homens que integram esses grupos não podem ser vistos como assassinos tais como aqueles da máfia italiana foram pintados, mas pessoas que buscam uma chance de sobrevivência perante a aridez e o sufoco sociopolítico.


domingo, 10 de outubro de 2021

Nũhũ Yãg Mũ Yõg Hãm: Essa Terra É Nossa! | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)



Exibido na Mostra Olhares Brasil do 10º Olhar de Cinema, sem se esquecer de sua passagem pela Mostra de Cinema de Tiradentes, Nũhũ Yãg Mũ Yõg Hãm: Essa Terra É Nossa! vem, como documentário de longa-metragem, reforçar o que vem acontecendo há cinco séculos, porém com maior permissividade nos últimos anos: o ininterrupto genocídio e roubo de terras das tribos nativas do Brasil. Em meio ao Vale do Mucuri, no leste mineiro, os remanescentes Tikmũ’ũn registram as injustiças veladas e recontam fragmentos do passado que suplicam para que não se repita.


sábado, 9 de outubro de 2021

Rio Doce | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


É curioso como nossas vidas, por vezes, parecem seguir ciclos de convergências. Pegamo-nos de surpresa com notícias que podem mudar significativamente os nossos próximos dias, o jeito de pensar e, disso, agir. Entre o Rio Doce, competente longa de estreia do diretor Fellipe Fernandes e nome do bairro mais populoso de Olinda, um jovem pai transita entre receios e frustrações da vida adulta.

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Estilhaços | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


Filmes consistidos de imagens de arquivos podem ser estranhos a quem busca ter uma experiência visual atrativa, mas é inegável o poder que aquelas gravações de um passado "eternizado" podem trazer ao longo do tempo. No caso de Estilhaços (Esquirlas, no original), ótimo longa de estreia da cineasta Natalia Garayalde, há muito mais do que uma compilação de vídeos familiares evidenciando o estilo de vida argentino da década de 1990, mas a exposição de um terrível crime acobertado por forças maiores.


O Protetor do Irmão | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)


O representante da Turquia e da Romênia na Mostra Competitiva do 10º Olhar de Cinema tem um tanto de Abbas Kiarostami, com o seu singelo Onde Fica a Casa do Meu Amigo?, e algumas similaridades com o ótimo CafarnaumO Protetor do Irmão (Okul Tıraşı, no original), tal como os outros títulos mencionados, vem a focar no esforço de um garoto em manter a sua alma inocente em meio a adultos tão perversos, vaidosos e gananciosos.

terça-feira, 5 de outubro de 2021

Venom: Tempo de Carnificina | CRÍTICA


A expressiva bilheteria que Venom alcançou com seu filme-solo em 2018 era algo inexplicável. Para mim, nem mesmo a dedicação de Tom Hardy como Eddie Brock e seu alter-ego simbionte foi o suficiente para me entreter com um filme feito com uma década de atraso, mas tão ávido em garantir uma sequência que até a sua cena pós-créditos era mais promissora graças ao semblante maníaco de Woody Harrelson, deixando os fãs do personagem co-criado por Todd McFarlane na ansiedade por um clássico embate dos quadrinhos. Venom: Tempo de Carnificina, pois então, trata de cumprir tamanha expectativa enquanto não abre mão de suas insistentes ressalvas anteriores.

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

10º OLHAR DE CINEMA | Fique por dentro do festival



É com alegria que anunciamos que, mais uma vez, faremos a cobertura do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba, que chega agora a sua décima edição! 

Como sempre, teremos críticas em texto aqui no blog e, assim como em 2019, uma forte ênfase em vídeos pelo Instagram do nosso veículo.

007: Sem Tempo Para Morrer | CRÍTICA

B25_25594_R.James Bond (Daniel Craig) prepares to shoot in .NO TIME TO DIE,.an EON Productions and Metro-Goldwyn-Mayer Studios film.Credit: Nicola Dove.© 2021 DANJAQ, LLC AND MGM. ALL RIGHTS RESERVED.

Da impulsividade agressiva que lhe foi tão bem-vinda em Cassino Royale à desconstrução da "licença para matar" tão refletida em Operação Skyfall em diante, James Bond alça o épico de vez agora com 007: Sem Tempo Para Morrer (No Time To Die). Talvez pelo fato de o cinema das grandes franquias investir em linhas narrativas cada vez mais dependentes entre si e, assim, dando continuidade à jornada de seus personagens e um melhor envolvimento do público com os mesmos, é verdade que o 25º filme de Bond faz tudo para a despedida de Daniel Craig ser grandiosa por direito. Das resfolegantes sequências de ação rodadas em IMAX a sua superlativa duração, tudo é feito pensando no legado do icônico personagem a tempo de aproveitar o talento de seu protagonista para trazer novas camadas.


quinta-feira, 9 de setembro de 2021

MATRIX RESURRECTIONS ganha trailer completo

CARRIE-ANNE MOSS (Trinity) e KEANU REEVES (Neo/Thomas Anderson) em MATRIX RESURRECTIONS


Nesta quinta (8), a Warner Bros. Pictures divulgou o aguardado trailer de Matrix Resurrections

Da visionária cineasta Lana Wachowski (Sense8, Matrix), o tão esperado quarto filme da franquia inovadora que redefiniu todo um gênero chega aos cinemas em dezembro e reúne as estrelas originais Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss nos papéis icônicos que os tornaram famosos, Neo e Trinity.

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

A Lenda de Candyman | CRÍTICA


Há um senso-comum na crítica e na opinião popular de que remakes são desnecessários, muitas vezes embasado por afeições nostálgicas cegando-se para qualquer novidade. Nos casos bem executados, porém, tais obras servem até como um convite para revisitar seus originais sem perder o entretenimento e até a possibilidade de atualizar contextos. No caso de A Lenda de Candyman, perduram boas honras ao cult de 1992 enquanto é competente em suas picadas de horror.


terça-feira, 17 de agosto de 2021

Lamento | CRÍTICA

Marco Ricca em LAMENTO / © Nick Maftum

Direção dos conterrâneos Diego Lopes e Cláudio Bitencourt, que há mais de uma década se dedicam à realização de audiovisuais em Curitiba pela sua Oger Sepol Produções, Lamento marca a estreia da dupla na realização de longa-metragens com um bom elenco, mas sua narrativa dá ao público uma experiência agonizante sobre tempos difíceis.


quinta-feira, 5 de agosto de 2021

O ESQUADRÃO SUICIDA – quem é mesmo o vilão? | CRÍTICA



O Esquadrão Suicida é o filme que todos esperavam ver em 2016 e não é por menos que o seu título praticamente idêntico remeta a uma ideia de reinício tendo em mente os tão debatidos vacilos de seu antecessor. Sob a direção e roteiro de James Gunn (dos filmes Guardiões da Galáxia), tudo está maior e melhor não só por utilizar as câmeras do IMAX, mas pelo fato de a equipe de vilões descartáveis da DC finalmente enxergar a sua devida identidade própria com uma narrativa maliciosamente divertida.


quinta-feira, 29 de julho de 2021

TEMPO – Shyamalan mestrando um tabuleiro cruel | CRÍTICA

Vicky Krieps, Thomasin McKenzie, Gael García Bernal em TEMPO

Boas narrativas de suspense envolvendo desaparecimentos e/ou assassinatos nunca vão perder seu estranho encanto. Por mais antigos que já estejam os contos de Agatha Christie e, no cinema, A Regra do Jogo e as tantas fitas de mistério de Hitchcock envolvendo um coletivo de personagens há sempre de nos deixar com a ansiedade a mil onde a torcida pelos mocinhos e a punição aos mal-feitores se faz algo eficientemente atemporal enquanto nós, espectadores sabidos diante das pistas destacadas, aguardamos pela resolução. 

Mais do que um entusiasta do gênero, M. Night Shyamalan gosta de se arriscar nas convenções do mesmo ao passo em que as revitaliza, e apesar de seu exagero recorrente em se tratando de clímax, é inegável que o cineasta por trás de O Sexto Sentido, Sinais e Fragmentado sabe mexer com as expectativas do público.


sexta-feira, 23 de julho de 2021

DUNA tem novo trailer divulgado


Nesta quinta (22), a Warner Bros. Pictures divulgou o novo trailer de Duna, além de cartazes individuais de cada personagem que aumentaram ainda mais a expectativa do público para o lançamento.

A épica batalha pelo destino do planeta Arrakis está cada dia mais próxima.

terça-feira, 20 de julho de 2021

Um Lugar Silencioso - Parte II | CRÍTICA

Noah Jupe, Millicent Simmonds e Emily Blunt em UM LUGAR SILENCIOSO - PARTE II

Toda a vez em que uma produção de sucesso se empreende no desenvolvimento de uma continuação, é habitual ver a expansão de sua mitologia realçando o que funcionou ao passo em que apresenta novos elementos na trama. Sendo assim, a segunda parte de Um Lugar Silencioso não só comprova esse raciocínio e retoma a agonia do espectador em prender até mesmo a própria respiração no ímpeto de evitar qualquer ruído tal como na narrativa, mas por evidenciar que o ator John Krasinski agora esbanja segurança e criatividade na direção.


sexta-feira, 16 de julho de 2021

LOKI – imprevisível e surpreendente | CRÍTICA (1ª Temporada)


Passadas duas séries exibidas exclusivamente no Disney+, o Marvel Studios parece ter encontrado em tal janela de exibição um formato que não diminuiu em nada o seu fenômeno cinematográfico. Muito pelo contrário, só expandiu os burburinhos pelas redes na constante geração de teorias sobre o futuro daquele universo de aventuras que não se cansa de crescer. Embora Falcão e o Soldado Invernal fora decepcionante em partes, ainda mais pareado aos impactos de WandaVision, ao longo de suas seis semanas de exibição, Loki entrou na fila e furou a mesma conquistando audiências não só pela sua qualidade artística, mas principalmente por dar passos significantes na empreitada narrativa da Fase 4 do MCU e, diga-se de passagem, com uma gloriosa estreia.

quarta-feira, 14 de julho de 2021

VIÚVA NEGRA – além da homenagem | CRÍTICA



Basta percorrer algumas notícias de anos atrás para atestar que Kevin Feige, o poderoso produtor por trás do Marvel Studios, se viu encorajado a realizar um longa-metragem protagonizado por uma super-heroína somente mediante o êxito de Mulher-Maravilha. Na agenda de tantos projetos do estúdio ainda em 2017, era curioso que apenas o título de Capitã Marvel estava na lista, ainda que para ser lançado só dois anos depois, logo quando personagens femininas já familiares ao público como a Viúva Negra e Feiticeira Escarlate poderiam ser mais do que coadjuvantes. A trajetória de Natasha Romanoff (Scarlett Johansson) ao final de Vingadores: Ultimato comprovou que a super-espiã era bem estimada pelos espectadores a ponto de a ideia de uma aventura solo, entretanto póstuma, estar em produção soava mais como uma forma de aproveitar tal comoção. No fim das contas, porém, o que era pra ser apenas uma homenagem, se torna algo maior e não há o que contestar mediante uma bem-vinda adição.

terça-feira, 13 de julho de 2021

Uma escolha que já não era difícil …ou como o Plano Extra ganhou uma sobrevida

No início de 2020, eu me vi apto a começar uma nova fase da minha vida. 

Comecei março encerrando uma breve era como professor e, de prontidão, arregacei as mangas para finalizar um projeto de documentário cujo edital terminaria naquela primeira semana. 


Eu estava confiante o suficiente de que minha carreira de cineasta, enfim, tomaria os primeiros e definitivos passos me empreendendo numa jornada ininterrupta de realizações. Sem mais produções de alunos para orientar, eu estava decidido a também encerrar meu ciclo como crítico, já que acompanhar e escrever sobre lançamentos de terceiros sempre foi uma corrente pesada no meu tornozelo. 


Eu estava pronto para encerrar a minha parte no Plano Extra.


segunda-feira, 21 de junho de 2021

G.I. JOE ORIGENS: SNAKE EYES tem trailer revelado

Henry Golding em G.I. JOE ORIGENS: SNAKE EYES

Nesta segunda (21), a Paramount Pictures liberou o trailer internacional de Snake Eyes, novo filme da franquia G.I. Joe e o que não falta é ação, sequências de artes marciais, perseguições motorizadas e muita adrenalina!

G.I. Joe Origens: Snake Eyes conta a origem do ninja Snake Eyes (Henry Golding, Podres de Ricos), um dos personagens de maior sucesso do universo dos Joes criado por Larry Hama. O primeiro trailer mostra a sua aproximação com Storm Shadow (Andrew Koji), o treinamento no templo Arashikage e Ursula Corberó e Samara Weaving nos papéis da Baronesa e Scarlett, respectivamente.

sábado, 19 de junho de 2021

ANA. SEM TÍTULO, novo filme de Lúcia Murat, tem estreia confirmada para junho



Ana. Sem Título, road-movie da diretora Lúcia Murat (Praça Paris, Quase Dois Irmãos, A Memória que me Contam), chega aos cinemas dia 29 de julho. A produção é da Taiga Filmes e a distribuição no Brasil é da Imovision.

sexta-feira, 18 de junho de 2021

Plataforma CINING chega ao Brasil com lançamentos direto do cinema!



Novo modelo de exibição para as redes de cinema, o Cining chegou ao Brasil nesta quinta-feira, 17 de junho, e tem calendário de estreias divulgado pela Paris Filmes, distribuidora responsável pelo lançamento do serviço no país em sociedade com a BF Distribution, distribuidora presente em grande parte da América Latina.

Os primeiros filmes a entrarem no serviço são Além das Montanhas, lançamento exclusivo no Cining com grande elenco, e A Viúva das Sombras, terror sobrenatural que vai dar continuidade ao sucesso das salas de cinemas agora no Cining.

quinta-feira, 17 de junho de 2021

LIGA DA JUSTIÇA DE ZACK SNYDER tem lançamento de Blu-ray confirmado no Brasil!


Depois do êxito da campanha #ReleaseTheSnyderCut que levou à HBO MAX possibilitar a finalização de Liga da Justiça pelo seu próprio diretor, resultando em resultados surpreendentes na locação do filme de 4h nos serviços de video on demand, para o contento dos fãs brasileiros, um Blu-ray duplo será lançado pela Warner disponibilizando o filme tanto no novo serviço de streaming como na tradicional mídia física.

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Brasil em Cannes! Curta-metragem é selecionado em mostra do prestigiado festival de cinema


Depois do anúncio de que o Brasil estará na seleção oficial do Festival de Cannes em 2021 com o novo longa de Karim Aïnouz e Medusa, de Anita Rocha da Silveira, na Quinzena dos Realizadores, outra produção nacional estará num dos maiores eventos do cinema mundial.

Cantareira, de Rodrigo Ribeyro, integra a mostra Cinéfondation que prestigia filmes feitos por novos diretores.


quarta-feira, 2 de junho de 2021

VERÃO DE 85 – a intensidade do amor juvenil | CRÍTICA

Félix Lefebvre e Benjamin Voisin em VERÃO DE 85
 

A filmografia de François Ozon é repleta de títulos que tendem a se debruçar sobre o desenvolvimento de relações (muitas delas, amorosas) cuja intensidade há de ter um preço no final. Década que ainda reverbera no gosto popular graças a sua profusão artística que tanto lançou hits musicais e filmes de aventuras inesquecíveis, além de estilos de vida impulsionados por uma sociedade consumista conferindo uma nostalgia até mesmo para aqueles que sequer a vivenciaram, a impressão gerada por Verão de 85 é que não havia época melhor para curtir a vida e, assim, permitir se apaixonar acima de qualquer tabu.


segunda-feira, 31 de maio de 2021

Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos | CRÍTICA

David Oyelowo em ALICE E PETER: ONDE NASCEM OS SONHOS
 

Na arte do escapismo, não há ferramenta melhor senão a fantasia e seu contorno dos conflitos mundanos que acalentam aqueles que a consomem. Títulos praticamente centenários ainda se fazem vívidos no imaginário popular em decorrência das tantas adaptações feitas ao longo das décadas em diversas mídias e, a partir do momento em que nos é apresentado uma fita chamada Alice e Peter: Onde Nascem os Sonhos, um resgate à velha fantasia do início do século XX soa mui convidativo a todos que já se empreenderam nos clássicos que abarcam os nomes destes personagens-título.


quinta-feira, 27 de maio de 2021

Assista ao trailer de TEMPO, novo filme de M. Night Shyamalan

Gael García Bernal e Vicky Krieps em TEMPO


A Universal Pictures revelou o primeiro trailer e o pôster oficial de Tempo, novo thriller misterioso e arrepiante do visionário cineasta M. Night Shyamalan.

No longa, uma família decide relaxar em uma praia isolada durante o feriado e acaba se envolvendo em um grande mistério: todos começam a envelhecer rapidamente, de modo que suas vidas inteiras se resumem a um único dia.

Com Anya Taylor-Joy, NOITE PASSADA EM SOHO ganha trailer

Anya Taylor-Joy em NOITE PASSADA EM SOHO


A Universal Pictures divulgou o primeiro trailer e o pôster oficial do thriller psicológico Noite Passada Em Soho (Last Night in Soho). O longa conta a história de uma jovem, interpretada por Thomasin McKenzie, que descobre ser capaz de se transportar para a década de 1960 e assim realiza o sonho de encontrar seu ídolo. 

O que começa como um sonho para a jovem estudante de moda se transforma em um pesadelo quando consequências sombrias dessa viagem ao passado começam a afetar o presente.

segunda-feira, 26 de abril de 2021

Conheça os vencedores do Oscar 2021!


Em um formato inédito, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas realizou a sua 93ª edição dos Oscar priorizando o formato presencial, mas sediando em vários espaços de Los Angeles para evitar aglomerações.

Mas não foi só isso. Mudanças na ordem das premiações pegaram os espectadores de surpresa, assim como o adiantamento da cerimônia, para o nosso contento além da confirmação de boa parte dos favoritos. Confira a lista de vencedores na sequência! 

terça-feira, 20 de abril de 2021

Mostra gratuita exibe 75 filmes brasileiros da última década

Marjorie Estiano em AS BOAS MANEIRAS, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Terceira parte de uma retrospectiva que começou em 2001 (referente ao cinema dos anos 90) e seguiu em 2011 (os anos 2000), CINEMA BRASILEIRO: ANOS 2010, 10 OLHARES resgata parte significativa da filmografia nacional da última década que contou com uma produção múltipla. 

Serão exibidos, ao todo, 75 filmes (43 longas e 28 curtas) e 10 debates. A mostra é produzida pela CUP FILMES, e financiado através da Lei de Emergência Cultural Proac Expresso Lab (Lei Aldir Blanc). Além dos curtas e longas, o festival contará com debates gravados entre os curadores e curadoras de cada segmento e mais dois especialistas nos temas, que discorrerão sobre as obras e o conceito trazido pelo curador para rever a década.

quarta-feira, 14 de abril de 2021

DUPLA EXPLOSIVA 2 ganha novo trailer

Ryan Reynolds, Salma Hayek, Samuel L. Jackson em DUPLA EXPLOSIVA 2

A Paris Filmes divulgou na última terça-feira (13) o primeiro pôster e trailer teaser em lançamento global de Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime” (Hitman’s Wife’s Bodyguard), o longa de ação que traz a volta da dupla Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson e agora com Salma Hayek chegando para somar na produção.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

SPACE JAM: UM NOVO LEGADO ganha trailer

LEBRON JAMES and BUGS BUNNY in Warner Bros. Pictures’ animated/live-action adventure “SPACE JAM: A NEW LEGACY,” a Warner Bros. Pictures release.


A Warner Bros. Pictures divulgou no sábado (3) o primeiro trailer de Space Jam: Um Novo Legado, com os já conhecidos e adorados personagens clássicos dos Looney Tunes, como Pernalonga, Lola Bunny, Patolino, Piu-Piu, além do superastro da NBA LeBron James

O primeiro trailer também traz várias referências às propriedades do grupo, com animações clássicas, a série Game of Thrones, Matrix, o Universo DC, entre outras.

sexta-feira, 26 de março de 2021

O ESQUADRÃO SUICIDA ganha novo trailer

IDRIS ELBA como Sanguinário e SYLVESTER STALLONE como Tubarão-Rei em O ESQUADRÃO SUICIDA

A Warner Bros. Pictures divulgou artes inéditas e um novo trailer de O Esquadrão Suicida (The Suicide Squad), mais novo filme que traz o time de supervilões da DC Comics para os cinemas.

Dirigido e roteirizado por James Gunn (Guardiões da Galáxia), o longa conta com um elenco estelar, reunindo Margot Robbie, Idris Elba, John Cena, Alice Braga, Joel Kinnaman, Jai Courtney, Peter Capaldi, David Dastmalchian, Viola Davis, entre outros grandes nomes.