sexta-feira, 15 de outubro de 2021

O Bom Cinema | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)

 

Traçar a história do Cinema Brasileiro é um exercício feito há tempo considerável por críticos e teóricos, mas também por cineastas que tanto se inspiraram e aprenderam com artistas de outras épocas. Do importante resgate histórico (ainda mais passado o incêndio na Cinemateca), o espectador ganha mais uma boa aula com O Bom Cinema.

Rolê - Histórias dos Rolezinhos | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)



Agraciado com o Prêmio Especial do Júri e com Prêmio do Público no 10º Olhar de CinemaRolê - Histórias dos Rolezinhos quer falar muita coisa porque entende que os assuntos que vem a abordar, seja por imagens de arquivo, por depoimentos e performances, estão intrinsecamente ligados. Entre histórias reais que vão do preconceito a superação, há uma juventude que não se permite mais intimidar.

Carro Rei | CRÍTICA

Matheus Nachtergaele em CARRO REI
 

É um ato de celebração toda a vez em que realizadores brasileiros se empreendem na realização de um filme de fantasia. Custos à parte, firmar uma identidade nacional logo num gênero dominado pela cultura internacional é um exercício e tanto em sua demanda por criatividade. Mesmo oscilando entre altos e baixos, a diretora Renata Pinheiro faz Carro Rei nos entreter com um passeio distópico e consciente.


quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Halloween Kills: O Terror Continua | CRÍTICA


É difícil definir o que faz de Halloween uma das franquias mais atrativas do cinema de horror, apesar de a maioria dos seus títulos estar longe de ser algo plausível ou memorável tanto quanto o original de John Carpenter. Nas mãos da Blumhouse, o comeback de 2018 serviu para reavivar o elo de Michael Myers e Laurie Strode omitindo de seu cânone praticamente todas as sequências dadas após o segundo longa e, daí, iniciando uma revisão da violência nos tempos atuais – afinal, seria apenas Michael o agressor na história? Então, se Halloween remetia até em estrutura com o clássico A Noite do Terror, com Halloween Kills, o diretor David Gordon Green aproxima-se da continuação de 1981 com muito mais matança e uma sociedade não menos incendiária.

Subterrânea | CRÍTICA (10º Olhar de Cinema)

Silvana Stein e Negro Leo em SUBTERRÂNEA

Esse talvez seja um dos filmes mais inesperados e divertidos que eu poderia esperar assistir na 10ª edição do Olhar de Cinema. Flertando com as tramas fantásticas de arqueologia, o que o diretor Pedro Urano faz com Subterrânea é uma doida, mas curiosa aventura que funciona dentro dos limites da suspensão da descrença enquanto uma reflexão de sua metrópole.


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

O Último Duelo | CRÍTICA

 

Ver Ridley Scott voltando para a Idade Média passados 1492, Cruzada e Robin Hood poderia ser até taxado como um retrocesso criativo, ainda mais quando o cineasta gosta de tornar épico (ou supérfluo?) quase tudo o que toca a ponto de perder a integridade narrativa em prol do mero espetáculo. Curiosamente (e ao contrário do que eu esperava), O Último Duelo demonstra um diretor excepcionalmente lúcido ao retratar um tema cujas contestações eram quase que impensáveis há mais de 600 anos.