terça-feira, 14 de junho de 2022

LIGHTYEAR – ao infinito e...? | CRÍTICA


O anúncio de Lightyear surgiu em um dia dos acionistas da Disney e tomou todo mundo de surpresa. Um filme solo do boneco? Um filme contando a história do personagem? No fim, a explicação foi de que seria um filme falando sobre o personagem que deu origem ao boneco, mas, ainda assim, as primeiras frases de introdução do filme realmente conseguem explicar. O novo filme da Pixar, então, traz mensagens importantes, um visual incrível e boa aventura, mas esbarra em uma trama comum e que não se destaca entre os sucessos do estúdio.


terça-feira, 7 de junho de 2022

Os Primeiros Soldados | CRÍTICA (11° Olhar de Cinema)



Os Primeiros Soldados se passa na cidade de Vitória (ES), onde um grupo de jovens LGBTQIA+ celebra o réveillon de 1983 sem ideia do que se avizinha. O biólogo Suzano (Johnny Massaro) sabe que algo de muito terrível começa a transtornar seu corpo.

É Preciso Uma Aldeia | CRÍTICA (11° Olhar de Cinema)


A temática de É Preciso uma Aldeia parece óbvia: o medo do terrorismo atrelado a xenofobia é base de toda a recepção da população perante um acidente em um pleno fim de semana de Páscoa. Ao contar a história de uma pequena vila na República Tcheca onde vive Standa (Michal Istenik), um bombeiro voluntário que está prestes a se tornar pai e que se sente impotente no seu trabalho, logo de primeira, os habitantes falam que aquilo é culpa dos árabes, sendo que a vítima foi, na verdade, um imigrante com traços árabes.

Paterno | CRÍTICA (11° Olhar de Cinema)


Dirigido por Marcelo Lordello, Paterno conta a história de Sérgio (Marco Ricca), um arquiteto do Recife que está com planos de implementar seu projeto mais ousado em um bairro a beira-mar na capital de Pernambuco.

segunda-feira, 6 de junho de 2022

Quente de tarde, frio à noite | CRÍTICA (11° Olhar de Cinema)


Quente de tarde, frio à noite conta a história de um casal com dificuldades financeiras que faz um juramento: não fazer um empréstimo. Um deles, porém, não irá cumprir o combinado.

sábado, 4 de junho de 2022

A Ferrugem | CRÍTICA (11° Olhar de Cinema)


A Ferrugem
(La Roya) conta a história de Jorge (Daniel Ortiz), o único jovem da sua geração que seguiu vivendo e trabalhando na fazenda de sua família, numa isolada comunidade em meio à floresta colombiana. Com o retorno de vários de seus amigos e da sua primeira namorada, vindos da cidade grande para as festas anuais locais, ele confronta o passado, mas também suas decisões sobre presente e futuro.