domingo, 9 de junho de 2019

Pinhão | CRÍTICA (8º Olhar de Cinema)


Integrante da Mirada Paranaense da 8ª edição do Olhar de Cinema, Pinhão é um documentário de causa nobre ao fazer seu levantamento do que acontece na periferia da Região Metropolitana de Curitiba; algo que, certamente, poderia acontecer com maior frequência em outros redutos. Dirigido por Andréia Kaláboa e produzido por Guto Pasko (documentário Ivan, série Contracapa) da GP7 Produtora, a pesquisa filmada que tomou três anos da concentração da realizadora revela agora um lado desconhecido do polo urbano, onde a criatividade e o senso de partilha ajudaram a contornar as crises econômicas aos menos favorecidos.

Concentrando-se em fazer um registro observativo e de intervenções mínimas no espaço e na interação com seus atores sociais, daí uma predileção por planos gerais estáticos, Andréia Kaláboa nos leva a conhecer a rotina dos Clubes de Trocas que, por sua vez, começaram a dar os seus primeiros passos ainda na década passada engajados por carismáticas senhoras conscientes quanto a questão do consumo e do desperdício. Em suas reuniões, um espaço verdadeiramente comunitário em que sua gente interessada discute o valor simbólico dos produtos que ofertam à mesa, recitam poesia, cantam, fazem dinâmicas, recebem instruções de economia. Dessa relação, eis que surge uma moeda interna de troca: o Pinhão. Falta de periodicidade de alguns nas reuniões, não é que a ideia dá certo?

Embora alguns planos se estendam mais do que o necessário cujos enquadramentos ocasionalmente causam certa fadiga – penso que teria sido interessante dedicar mais tempo em imagens daquelas pessoas confeccionando seus produtos até chegar às mãos dos consumidores, como visto no plano que mostra as barraquinhas ao lado do Terminal de Ônibus do bairro Portão –, ainda mais com tantas repetições verbais, Pinhão mostra o porquê de os "Clubes de Trocas - Economia Solidária" serem tão benéficos aos seus praticantes que reiteram a honestidade em primeiro lugar quando o Mercado em si quer mais lucro sem se importar com as consequências restantes. Além disso, o documentário é prova de que um assunto tão cotidiano pode render um interessante estudo social. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário