sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Era Uma Vez Um Deadpool | CRÍTICA


Ao contrário do que se esperava, Era Uma Vez Um Deadpool não segue a linha de filmes ou especiais para a TV que crescemos assistindo com personagens populares desde Xuxa a referências estrangeiras produzidas pela Disney ou pela Dreamworks Animation, com histórias se passando entre momentos mágicos e de redenções familiares. Atual rei do deboche no "cinema de super-herói", o que vemos aqui nada mais é do que um corte atenuado para menores do que vimos e rimos com Deadpool 2 em maio passado.

Aproveitando-se das efemérides dos 30 anos de lançamento do ainda encantador A Princesa Prometida, a véspera natalina e até mesmo a atual situação da compra do grupo da Fox pela The Walt Disney Company, sim, Era Uma Vez Um Deadpool se trata de uma versão comentada do segundo filme do mercenário tagarela com cortes que nos poupam de toda a violência gráfica e quase todos os palavrões soltos pelas bocas de uns e outros.

(© 20th Century Fox/Divulgação)

Sim, a experiência em ter que pagar para ver um mesmo filme novamente pode ser decepcionante para muitos que não são habituados a isso, mas acaba que a ideia de resgatar o ator Fred Savage e fazê-lo reprisar seu papel no filme estrelado por Robin Wright se faz hilária, da mesma forma que suas trocas de farpas com Wade Wilson/Deadpool (Ryan Reynolds) compensam a chatice do melodrama fúnebre que quase se manteve intacto neste "corte-família". De qualquer forma, é válido atestar que algumas piadas continuam ótimas (em especial àquela sobre a coincidência de Yentl com Frozen), e, em outras situações, só reforçam meu posicionamento já descrito na crítica completa (leia aqui).

Ainda se fosse, de fato, um filme temático envolvendo Deadpool aprontando horrores num Natal mutante na Mansão Xavier ou até debochando de outras referências culturais de gosto duvidoso, o ditado "vale o ingresso" fica por conta da homenagem póstuma à Stan Lee – embora não seja surpresa de que esta se trata de uma primeira de muitas que virão nos próximos lançamentos com o selo Marvel, incluindo a auspiciosa animação Homem-Aranha no Aranhaverso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário