sábado, 8 de agosto de 2020

Daniel Kaluuya e LaKeith Stanfield contracenam em trailer de Judas e o Messias Negro

Daniel Kaluuya e LaKeith Stanfield contracenam em "Judas e o Messias Negro"

Esta semana, a Warner Bros. Pictures divulgou os primeiros materiais de Judas e o Messias Negro, longa produzido por Ryan Coogler (Pantera Negra, Creed) reencenando um ato revolucionário do Partido dos Panteras Negras nos Estados Unidos da década de 1960.

Sobre o filme:

Eu sou um revolucionário! 

Em 1968, um jovem ativista carismático chamado Fred Hampton tornou-se presidente da filial de Illinois dos Panteras Negras, que lutavam pela liberdade, o poder de determinar o destino da comunidade negra e o fim da brutalidade policial e do massacre de pessoas negras.

O presidente Fred estava inspirando uma geração a se levantar e não ceder à opressão, o que o colocou diretamente na linha de fogo do governo, do FBI e da polícia de Chicago. Mas para destruir a revolução, eles tiveram que fazer isso por fora...e por dentro. Diante da prisão, William O'Neal recebe uma proposta de acordo do FBI: se ele se infiltrar nos Panteras Negras e fornecer informações sobre Hampton, ele ficará livre.

Agora, um companheiro de luta para os Panteras Negras, O'Neal vive com medo de que sua traição seja descoberta, mesmo quando ele ascende nos Panteras Negras. Mas, à medida que a mensagem ardente de Hampton o atrai, O'Neal não pode escapar da trajetória mortal de sua traição final. 

Embora sua vida tenha sido interrompida, o impacto de Fred Hampton continuou a reverberar. O governo viu os Panteras Negras como uma ameaça militante ao status quo e vendeu essa mentira a um público assustado em um momento de crescente agitação civil. Mas a percepção dos Panteras não correspondia à realidade. Nas cidades do interior dos Estados Unidos, eles ofereciam café da manhã gratuito para crianças, serviços jurídicos, clínicas médicas e pesquisas sobre anemia falciforme e educação política. E foi o presidente Fred de Chicago que, reconhecendo o poder da unidade multicultural por uma causa comum, criou a Coalizão Arco-Íris – unindo forças com outros povos oprimidos da cidade para lutar por igualdade e empoderamento político. 

Assista ao trailer:



Dirigido por Shaka KingJudas e o Messias Negro é estrelado por Daniel Kaluuya (As Viúvas, Pantera Negra e indicado ao Oscar por Corra!) como Fred Hampton e LaKeith Stanfield (Atlanta, Death Note) como William O’Neal. O filme também é estrelado por Jesse Plemons (Vice, A Noite do Jogo, The Post: A Guerra Secreta), Dominique Fishback (O Ódio que Você Semeia, The Deuce), Ashton Sanders (Moonlight: Sob a Luz do Luar) e Martin Sheen (Os InfiltradosWest Wing: Nos Bastidores do Poder, Grace & Frankie).

O projeto, que marca sua estreia na direção de longas-metragens, teve origem com King e seu parceiro de roteiro, Will Berson, que coescreveu o roteiro, e Kenny Lucas & Keith Lucas, que coescreveu a história com Berson & King. King, que tem um longo relacionamento com o cineasta Ryan Coogler (Pantera Negra, Creed: Nascido Para Lutar), apresentou o filme a Coogler e Charles D. King (Luta por Justiça, Um Limite entre Nós), que estão produzindo o filme.

 A equipe criativa dos bastidores inclui o diretor de fotografia Sean Bobbitt (As Viúvas, 12 Anos de Escravidão), o designer de produção Sam Lisenco (Shades of Blue: Segredos Policiais), a editora Kristan Sprague (Random Acts of Flyness) e a figurinista Charlese Antoinette Jones (Criando Dion).

 Judas e o Messias Negro estreia em 2021 nos cinemas brasileiros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário